quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Como é que o sol está em dois sítios ao mesmo tempo?

O L. e a C. queriam saber como é que o sol está em dois sítios ao mesmo tempo. Depois de partilharem connosco esta questão um pequeno grupo juntou-se a eles e deram início a este projeto. 

Pesquisaram informação nos livros, registaram e cruzaram informações recolhidas...




Hoje foi dia de comunicarmos aos amigos da nossa sala e à sala do 1º ciclo as nossas descobertas...


Descobrimos que não é o sol que gira mas sim o planeta Terra que gira! Se de um lado do planeta está de dia, do outro lado  está de noite. L.



Se não existisse sol não existiam pessoas, animais ou plantas no nossa planeta. R

Se o nosso planeta não girasse de um lado estava sempre calor e de dia e do outro estava sempre frio e de noite, por isso não podia viver lá ninguém. M.

Foram tantas as descobertas que fizemos ao longo deste projeto e outras que descobrimos com os amigos do 1º ciclo. 


Os momentos de comunicação de projetos são sempre momentos muito importantes de validação social dos nossos conhecimentos, de valorização do nosso empenho e dedicação e de consciencialização da nossa postura ao longo do projeto. 

Desta forma, crescemos numa comunidade e todos participamos ativiamento no processo de aprendizagem. 

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

De mãos na terra e pés na lama!

A S. queria descobrir como é que nascem as árvores... Aliada a esta curiosidade da S., reconhecemos a importância de promovermos valores e atitudes de  sensibilização e proteção do meio ambiente. Neste sentido, fomos para o corredor ecológico de Queluz e, com a Associação Plantar uma Árvore, tratamos da floresta e plantamos árvores!

  


À nossa espera estava o Miguel para nos acompanhar nesta atividade...





Começamos por conversar sobre a nossa floresta e percebemos que um dos problemas são as árvores que não são caraterísticas do nosso pais como as acácias. As acácias crescem muito e não deixam espaço para outras árvores crescerem.






Num esforço conjunto, começamos por arrancar algumas acácias...




Depois plantamos árvores como o carvalho-português ou o medronheiro...





Enquanto uns plantavam árvores, outros apanhavam ervinhas para pôr por cima da terra para esta não secar com o sol...




Foi também uma manhã de muitas brincadeiras feitas de terra, pauzinhos e ervas arrancadas de fresco...



Voltamos para a escola mais conscientes da importância de cuidarmos da floresta e felizes pelas experiências ali vividas! 




E quem não gosta de saltar na lama? Nós adoramos! 

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Os Índios

Na nossa sala a V. queria saber mais coisas sobre os índios! Um pequeno grupo juntou-se  à V. e, depois de perceberem o que já sabiam sobre os índios e o que queriam saber, organizaram-se e começaram a pesquisar e registar informações...


Depois de descobrirem a floresta Amazónica, o que comem, como brincam e como aprendem, que instrumentos musicais tocam e porque é que usam arcos e flechas foi tempo de partilhar aprendizagens com a comunidade educativa...



terça-feira, 30 de janeiro de 2018

O assalto às lancheiras

Depois de fazermos o projeto "O que é o glúten?" e da visita da nutricionista e da médica, estamos cada vez mais despertos e conscientes da importância de mantermos uma alimentação saudável e variada. 

Neste sentido, fomos ao teatro Tivoli assistir ao espetáculo Assalto às Lancheiras...



Num cenário repleto de cor e com personagens muito bem caraterizadas, deixamo-nos envolver pela mensagem que o espetáculo transmite...


(fotos do espetáculo retiradas da internet)

"As guloseimas queriam assaltar as lancheiras e tirar os lanches saudáveis e pôr alimentos que não fazem bem." V.S.

"Só podemos comer doces em dias especiais." R.D.

"É importante escolhermos uma alimentação saudável para sermos saudáveis." R.V.

Mais que um espetáculo, estas são atitudes que perduram no nosso dia-a-dia e se vêm refletidas nos nossos diálogos em torno da alimentação bem como nas escolhas que fazemos diariamente. 


"Magia não pode ser porque não há aqui nenhum mágico!"

Na nossa tarde dedicada às ciências fizemos uma experiência relativa à conservação de água...


Dentro de 3 copos diferentes estava a mesma quantidade de água. 

Depois de os observarmos discutimos qual o copo com mais água ou com menos!

Estava tudo muito convito das suas observações:


O copo do meio tem mais água, tem muita. S.V.
O copo do meio tem mais água porque a água está a chegar ao topo. V.S.

O copo que tem menos água é aquele porque está muito baixo. M.S. 
O copo mais largo tem menos água. M.N.



Fomos então confirmar estas hipóteses e, para tal, despejamos a quantidade de água de cada copo diferente numa unidade de medida uniforme: um copo de plástico transparente.




O que observamos:

Os copos ficaram todos iguais. P.A.
Todos os copos têm a mesma quantidade de água. S.A.

Magia não pode ser porque não há aqui nenhum mágico! disse a R.V.

Em conjunto, chegamos a uma conclusão:

O copo era muito largo por isso parecia que tinha menos água. - explicou a S.A.
O copo do meio é mais fininho por iso parecia que tinha mais água. - explicou a M.N.

Assim, percebemos que todos os copos tinham a mesma quantidade de água mas como têm formatos diferentes parecia que uns tinham mais água e outros menos.

Fizemos o registo e combinamos comunicar esta experiência à sala da Carmo...





A validação social das descobertas é fundamental dando sentido às aprendizagens e valorizando quem comunica. 

A par da nossa comunicação, a Sala da Carmo partilhou a atividade de pintura em que tinham que continuar uma pintura partindo de uma imagem ou padrão.


domingo, 21 de janeiro de 2018

Larasati no Museu da Marioneta

Fomos ao Museu da Marioneta com a sala da Xana assistir ao espetáculo Larasati...

Enquanto esperamos pela nossa vez de entrar no espetáculo, brincamos no pátio, jogamos à apanhada e às escondidas, comemos fruta e ouvimos uma história...




Ao entrarmos no espetáculo entramos num ambiente que nos despertava para novos sons, um ambiente calmo e tranquilo...


Foi um espetáculo especial.. único... que nos deixou envolver e maravilhou... No final, exploramos estes  instrumentos musicais oriundos da Indonésia!





Da sala para a comunidade

Lembram-se de contarmos aqui que fomos à Casa de Repouso pelo Natal apresentar o nosso bailado?!

Ficamos felizes e orgulhosos e adoramos conhecer os idosos daquela casa.. Saímos de lá com vontade de voltar e, à saida, entre despedidas alguém perguntou se podíamos voltar e levar um bolo para lhes oferecer... A Carla, que nos recebe sempre tão bem na casa de repouso, disse que podiamos voltar sempre que quisessemos mas que o bolo não podia ter muito açúcar para não fazer mal aos idosos...

Saímos de lá com esta recomendação e, à chagada à escola, escrevemos no diário... 

Num momento de planeamento em conjunto, ao lermos o diário, combinamos ir à casa de repouso apresentar o nosso projeto sobre o glúten e levar-lhes bolinhos saudáveis!

Assim, começamos a pesquisar receitas com a ajuda da Joana e escolhemos duas diferentes: queques de frutas e queques de alfarroba, ambos sem glúten e sem açúcar...   

Combinamos tudo com a Carla, da Casa de Repouso, e no dia combinado começamos os preparativos! 

Organizamos  dois pequenos grupos para fazer estas receitas e, na nossa sala, começou a sentir-se um cheirinho a fruta e a bolos acabados de fazer...




À tarde, com os bolos e o projeto preparados, descemos a avenida e tocamos à campainha da casa de repouso...



Mais uma vez fomos recebidos com sorrisos alegres de nos verem, olhares admirados e felizes, olá's de quem já nos conhecia...

Explicamos o porquê da nossa visita e apresentamos o nosso projeto...



Depois foi tempo de partilharmos os nossos bolinhos no meio de conversas, histórias.. 




É maravilhoso entrar naquela casa e perceber que já nos reconhecem e que nós já sabemos o nome de alguns... É maravilhoso percebermos que podemos tornar o dia de alguém mais feliz e com mais vida... É maravilhoso ouvirmos as histórias que têm para nos contarem... É maravilhoso ir a sair da casa de repouso e conhecer a filha de um senhor que lá está a dizer que o pai fica sempre muito feliz cada vez que os visitamos! 

É maravilhoso perceber como podemos transformar o dia de alguém... Como podemos fazer a diferença!