sexta-feira, 20 de abril de 2018

Bolos, histórias e partilhas!

A M.J. trouxe o livro "10 patinhos de borracha" e para além de nos contar a história propôs descobrirmos como se escreve - pato - pata - patos! Na tarde de escrita, em grupo, pensamos sobre estas palavras e para além destas descobertas, percebermos que se na palavra pato tirarmos o -t- ficamos com a palavra pau! 

Partindo destas palavras, inventamos uma história: Os patinhos! os ilustradores começaram a ilustrar a história inventada por um grupo de autores! 



Experimentamos uma nova técnica que a M. partilhou connosco... Desenhamos em papel alumínio e pintamos com tinta! 

A A.E. também partilhou limões connosco para fazermos bolo de limão e limonada...





 Fizemos o convite à sala da Carmo para ouvir a nossa história  provar o nosso bolo e a nossa limonada...



Convite aceite... Entre histórias, bolos e limonadas passamos a nossa tarde! 






Vivermos numa escola de portas abertas, em que as aprendizagens e vivências vão muito além da nossa sala...


quinta-feira, 19 de abril de 2018

Plásticus Marítimus

Recebemos a Ana e ficamos a conhecer o seu projeto Plásticus Marítimus para nos falar dos plásticos que vão parar às praias! 



A Ana trouxe-nos algum lixo que recolhe todos os dias da praia... E percebemos que há diferentes tipos de lixo.. 

Alguns são elementos da natureza que vão lá parar por causa dos ventos como paus, pinhas ou ovos de alguns animais, como por exemplo da raia... Ou  um cavalo marinho já seco!



Depois encontramos metais  e plásticos... Muitos plásticos! 



Não só os plásticos que as pessoas deixam na praia mas também aqueles que são arrastados pelo vento e ficam nas praias ou aquele que deitamos pela sanita e vai parar à praia como por exemplo, os cotonetes...

Falando nas coisas que deitamos na sanita, fizemos uma experiência para perceber o que acontece se deitarmos o papel higiénico ou as toalhitas na sanita...



Colocamos papel higiénico numa garrafa com água e uma toalhita noutra garrafa com água! Depois de mexermos ambas muito bem, rapidamente verificamos que o papel higiénico "desapareceu" mas a toalhita não...























Vimos também um filme em que mostra a Ana a apanhar o lixo da praia e a criar uma escultura apenas feita de plásticos que lá encontrou: de um esqueleto de baleia!


Percebemos qual o impato que o lixo tem na vida dos animais marinhos pois alguns animais pensam que o lixo é comida e ficam doentes! 



No final, a Ana trouxe uns bonecos e, como veterinários, cuidamos do nosso animal... A causa facilmente foi detetada: os plásticos que os animais comeram estavam a deixá-los doentes.


No final, ainda com alguns plásticos recolhidos na praia, a Ana lançou-nos um desafio: desenhar um animal partindo de um pedaço de plástico à nossa escolha! 




Foi uma manhã muito importante! Percebermos qual o impato das nossas ações junto do meio ambiente e o que podemos fazer para alterar comportamentos! 

Na nossa sala podem encontrar a exposição das nossas produções!


Se quiserem ficar a conhecer melhor o projeto dos Plásticus Marítimus passem pela página de facebook aqui!


Obrigada Ana pela manhã maravilhosa! 

terça-feira, 17 de abril de 2018

Queques de maçã ou miminhos para partilhar?!

O M. já tinha sugerido fazermos bolo de maçã e sabendo que iríamos receber a Sala da Marta Reis (sala com bebés de 1 e 2 anos) na escola nova pensamos fazer o bolo de maçã para partilhar com os bebés. Para ser mais fácil de comer e partilhar, a Susete sugeriu usarmos formas pequeninas de queques.

Ingredientes na mesa, começamos a preparar tudo... Cortar a maçã, bater claras em castelos, pesar a farinha, o açúcar... Bater, misturar... Um trabalho conjunto envolto em carinho e em torno de uma mesa!






Massa distribuída pelas formas, foi tempo de as colocar no forno e esperar...


À tarde, foi tempo de partilhar queques.. 



Partilhamos queques mas, mais que isso, partilhamos momentos, atenções, carinho, cuidado... 





Foi maravilhoso presenciar o afeto, o cuidado, o entusiasmo em partilhar aquilo que é nosso! Que dia fantástico! Um dia já fomos pequeninos, um dia já recebemos estes mimos, estas atenções, as festinhas, a segurança do outro para ir mais além.. Hoje fomos nós essa segurança!

Passem pelo blog da Sala da Marta Reis e vejam mais sobre este dia! 


domingo, 15 de abril de 2018

A correspondência como promotora de aprendizagens


Como referem Neves e Silva, 2015 “A correspondência escolar é uma das componentes utilizadas e desenvolvidas pelos docentes do Movimento da Escola Moderna (MEM) para, entre outras, desenvolver a compreensão das crianças/alunos acerca da funcionalidade e do verdadeiro sentido da escrita, bem como para impulsionar actividades em contexto de sala de actividades/aulas (…)”

Na nossa sala fazemos correspondência com a sala da Rita e da Bárbara e na 2ª feira recebemos mais uma carta!

Enquanto líamos a carta e víamos o que nos enviaram, encontramos um desenho com um polvo e o nome de quem o tinha feito!


A pergunta surgiu: "O que está aí escrito?"

"É Luísa"  - diziam alguns
"É polvo porque está aí um polvo desenhado." - disseram outros

Combinamos então deixar estas descobertas para a nossa tarde de descobertas da escrita!

No dia, em grupo pensamos sobre esta questão: cada um contribuiu com os seus saberes para uma construção cooperada de aprendizagens!

Rapidamente percebemos que não era "polvo" que estava escrito...

Encontrando diferentes estratégias foi unânime que seria Luísa!


Em conjunto fomos descobrir como se escreve "polvo". O conhecimento de cada um contribui para os saberes de em grupo que juntos vão mais além! 

Pensamos nos sons das letras, partimos das letras que já conhecemos por fazerem parte do nosso nome ou do nome de alguém que gostamos muito, juntamos as letras e chegamos ao resultado final! 

Analisamos ambas as palavras e percebemos que apesar de terem o mesmo número de letras, Luísa tem 3 bocadinhos (silabas) e polvo tem 2. 

Mas não foi só a palavra "polvo" que descobrimos com a letra "p"... Descobrimos mais palavras e fizemos uma lista de palavras começadas por "p"


Mas nesta carta não encontramos só desafios de escrita mas também um jogo! 

Os meninos da sala da Rita e da Bárbara partilharam connosco o jogo dos arcos que gostam muito de fazer. No dia de jogos sociais, relemos as instruções do jogo, procuramos o material necessário e montamos o percurso, fizemos equipas e começamos o jogo! 



As aprendizagens são muito mais significativas quando partilhadas e vividas com sentido! 



quinta-feira, 12 de abril de 2018

Salada de frutas ou "todos juntos fazemos acontecer"!

Falamos em salada de frutas mas podemos pensar em como o espírito de grupo e de cooperação é mais forte e encontra estratégias para superar alguns obstáculos que podemos encontrar...

Isto porque no diário por várias semanas consecutivas tínhamos que queríamos ir à frutaria comprar frutas para fazer uma salada de frutas... Esta ida ia sendo adiada pelo tempo instável que se tem feito sentir ultimamente...

A M.J. deu uma ideia: e se cada um trouxesse uma fruta de casa e assim já podíamos fazer a salada sem ir à frutaria!   

Todos concordaram e assim foi...

Começamos a juntar as frutas em cima da mesa...


Fizemos conjuntos, ordenamos, contamos... 


E quando chega mais um amigo com duas pêras e juntamos às duas que já tínhamos... Escrevemos matematicamente este raciocínio! 


Feita o levantamento das frutas que conseguimos, foi tempo de começar a preparação...





No final, percebemos que tínhamos tanta salada que seria possível partilhar com as restantes salas e lá fomos nós, sala a sala oferecer a nossa salada de fruta! 



Ao almoço, uma sobremesa deliciosa repleta de cores e sabores!  


sexta-feira, 6 de abril de 2018

Fomos ao Pavilhão do Conhecimento

Saímos da escola com o 1º ciclo e seguimos rumo ao Pavilhão do Conhecimento para participar na Exposição Angry Birds.



Começamos por explorar a sala Dòing, uma sala preparada para explorar, construir, experimentar e criar. 







Da sala Dòing para a Exposição do Angry Birds seguimos entusiasmados! 




Foi uma manhã de explorações e descobertas... 

À saída, saímos contrariados com vontade de voltar!